terça-feira, 21 de março de 2017

VOTE CHAPA 1 PARA O SINDSEP CONTINUAR AVANÇANDO

SINDSEP PROMOVE ENCONTRO DAS CHAPAS NAS ELEIÇÕES 2017

Adicionar legenda
CHAPA 1 APRESENTA AS SUAS PROPOSTAS

CHAPA 2 APRESENTA AS SUAS PROPOSTAS
O SINDSEP promoveu na segunda-feira(20) o encontro entre as chapas 1 e 2 que tiveram a oportunidade de apresentar as suas propostas de trabalho.
O encontro foi no Auditório do SINDSEP, começou às 19h e terminou por volta das 22h.
Os servidores compareceram para assistir as apresentações e avaliaram como positivo evento para decidirem o voto.
A presidenta da Comissão Eleitoral, Francileide Tavares, leu as regras do encontro, previamente combinado entre as duas chapas. Em seguida leu a nota de esclarecimento do ex-presidente da Comissão Eleitoral Luisinho Coelho.
Foi feito o sorteio, ficando chapa 1 em primeiro e chapa 2 em segundo.
Dando continuidade a Chapa 1, representada pelas candidatas Didi Ribeiro (presidenta) e Analberga (vice) tiveram 30 minutos para apresentação das propostas.
Em seguida a Chapa 2, representada por Elenice (presidenta) e Joseilton Teixera (vice) apresentaram suas propostas.
Após as apresentações das chapas, foram abertas as inscrições para os servidores filiados. As perguntas foram encaminhadas as chapas e respondidas pelos candidatos.
Ao final as chapas tiveram 3 minutos para as considerações finais.
O SINDSEP avaliou o evento como uma excelente oportunidade dos filiados conhecerem as propostas das chapas e decidirem o voto. 
Transcorreu tudo dentro do planejado, foi uma reunião tranquila e o SINDSEP espera ter contribuído para o processo democrática.

REGRAS DO ENCONTRO
Aos vinte dias do mês de março de dois mil e dezessete, na Sede do SINDSEP, realizou-se reunião entre as chapas para definição das regras do evento de apresentação das propostas das chapas, que será realizado no dia 20 de março, às 19 horas, no Auditório do SINDSEP, sendo acordado o seguinte:
1-Só poderão falar o presidente e vice de cada chapa; 
2-O tempo para cada chapa será de 30 minutos;
3-A ordem das falas serão por sorteio, realizado na hora do evento; 
4-Só será permitida o uso da fala ao servidor filiado, que poderá fazer perguntas, com tempo máximo de 2 minutos;
5-Cada servidor poderá perguntar apenas uma vez para cada chapa;
6-Para falar o servidor terá que fazer sua inscrição junto a mesa, sendo colocadas os nomes do servidor em caixas, denominada chapa 1 e outra caixa chapa 2, onde serão sorteadas para serem respondidas;
7-Só serão aceitas no máximo cinco perguntas para cada chapa; 
8-A chapa terá tempo de no máxima 5 minutos para a resposta;


No caso de haver qualquer tipo de tumulto, conflito, confusão que não for possível conter, que impeça a continuidade do evento, o mesmo será encerrado.

sexta-feira, 10 de março de 2017

Propostas da CHAPA 1 para o SINDSEP continuar avançando

1-Continuar lutando pela implantação de um calendário de pagamento dos salários dos servidores ativos e inativos dentro do mês;
2-Continuar lutando pela atualização anual e melhoria dos Planos de Cargos e Carreiras dos servidores e dos professores com a ampliação dos percentuais das faixas, classes e matrizes;
3-Continuar lutando pelo reajuste do piso salarial dos professores;
4-Lutar pelo Plano de Cargos e Carreiras para os novos concursados;
5-Continuar lutando pelos quinquênios e Plano de Cargos e Carreiras para os Agentes de Endemias;
6-Lutar pela melhoria das condições de trabalho dos Agentes de Trânsito;
7-Continuar a construção do Clube do SINDSEP para oferecer um espaço de lazer de qualidade para os filiados e seus dependentes;
8-Transformar o prédio da antiga sede do SINDSEP em um Centro Médico para atender os filiados;
9-Continuar realizando a Festa do SINDSEP e ampliar os prêmios;
10-Continuar fazendo campanhas para ampliar o número de filiados;
11- Continuar prestando assistência jurídica aos filiados, bem como cuidar dos processos de interesse dos SINDSEP;
12-Cobrar da prefeitura o retorno do sistema de contracheque on-line com margem consignada e funcionamento 24 horas e que seja implantado também no FUNPREO;
13-Continuar lutando pela agilização da concessão das aposentadorias e pensões junto ao FUNPREO;
14-Continuar lutando por cursos de formação continuada para todos os servidores com temas direcionados à carreira e preparatórios à ascensão funcional, bem como equipamentos de segurança;
15-Continuar lutando pela aquisição de fardamento padronizado completo para alunos e funcionários, distribuídos anualmente;
16-Continuar lutando pela construção de quadras de esportes, cantinas, salas de informática, biblioteca digital, climatização dos ambientes, banheiros dignos em todas as escolas;
17-Continuar lutando pela reforma das escolas e demais prédios públicos, buscando oferecer um padrão de qualidade, melhorando as condições de trabalho dos servidores e demais pessoas que frequentam os locais;
18-Continuar lutando pelo concurso público, pela nomeação e posse dos aprovados;
19-Continuar lutando pela lei estabelecendo o número máximo de alunos por sala de aula de acordo com a faixa etária;
20-Continuar lutando pelo cumprimento do Plano Municipal de Educação de Ouricuri;
21-Continuar lutando pela construção de novas escolas, visando acabar com os prédios alugados, melhorando a infraestrutura, com acessibilidade;
22-Continuar lutando pela criação de escolas-núcleo na zona rural, acabando com salas multisseriadas, mantendo os alunos estudando no local onde possuem a sua identidade histórico-cultural;
23-Continuar lutando pela implantação de escolas em tempo integral, ofertando ao aluno múltiplas oportunidades de ensino e atendimento especializado;
24-Continuar lutando pela ampliação da carga horária do professor para 200h com o piso do magistério integral, a critério do professor;
25-Continuar lutando pela garantia de mais recursos do orçamento municipal para merenda escolar e aquisição de ônibus escolares;
26-Continuar lutando pela saúde financeira do FUNPREO e exigir da prefeitura os repasses funcional e patronal em dia, bem como o pagamento da dívida existente;
27-Continuar lutando pela concessão das licenças-prêmios por critério de direito e não por indicação política;
28-Continuar lutando pela concessão do difícil-acesso, insalubridade, periculosidade, estabilidade financeiras e demais direitos dos servidores;
29-Continuar mantendo parceria com os sindicatos, associações e demais entidades que atuam na defesa dos direito dos trabalhadores em âmbito municipal, estadual e federal;
30-Continuar acompanhando o processo do FUNDEF e lutar pela divisão justa do dinheiro entre os professores e demais servidores da educação;

São apenas algumas das lutas da CHAPA 1 para garantir direitos e avançar nas conquistas.


sexta-feira, 30 de setembro de 2016

CARTA DE AGRADECIMENTO DE DHONE MONTEIRO



Neste domingo, 2 de outubro, será decidido os próximos quatro anos.
Quanta responsabilidade, hein!
Eu não tenho nenhuma dúvida que VOCÊ terá sabedoria para escolher bem o seu PREFEITO e também o seu VEREADOR.
Gostaria de reforçar a importância do voto consciente, livre e cheio de esperança para o fortalecimento da democracia em nossa sociedade.
Não permita que migalhas subjugue a sua inteligência e a sua dignidade.
Sei que VOCÊ deseja o mesmo que eu para Ouricuri, um município com respeito e prosperidade para todos e todas.
Quero do fundo do meu coração agradecer o carinho e a atenção que recebi nesta campanha. Aliás feita com seriedade e sinceridade.
Tenho a honra de dizer que respeitei o eleitor, não comprei voto de ninguém e os que votarem em mim foi pelas propostas, ideias e projetos.
Se eleito for, cumprirei todos os compromissos assumidos e muito mais. Ouricuri vai ter um vereador cumpridor do seu papel constitucional e humano.
Vou continuar a minha luta, defendendo as pessoas, os animais, o meio ambiente, a lei.
Fiz uma campanha bonita, sem falsas promessas e com compromisso firmado com a ética e a moralidade, sem a famigerada compra de votos que tanto contribui para o afundamento de Ouricuri.
Se eleito, terei a honra de ser VEREADOR por Ouricuri. A honra de ser o seu REPRESENTANTE.
Exercerei o mandato com espírito público e seguindo os ensinamentos cristãos. Como homem público preocupado em combater as injustiças e em defender os interesses dos ouricurienses.
Agradeço ainda a todos que me receberam nas suas casas, que demonstraram o seu carinho nas ruas, na internet, a nossa militância voluntária, a minha família e aos companheiros que estiveram comigo durante toda a caminhada.
Às pessoas que se dedicaram integralmente, de corpo e alma, ao nosso projeto político, muitíssimo obrigado.
Por fim, peço mais uma vez o seu voto de confiança neste domingo, 2 de outubro, para Vereador Dhone Monteiro – 65123 e para Prefeito Dr. Anderson - 19.
Conte comigo!
Forte abraço!
DHONE MONTEIRO
UM NOVO JEITO DE FAZER POLÍTICA!

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

DHONE MONTEIRO REGISTROU EM CARTÓRIO A DOAÇÃO DO SALÁRIO DE VEREADOR, CASO SEJA ELEITO, PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA ESCOLA

Em Ouricuri, uma situação inusitada, o candidato a vereador Dhone Monteiro (PCdoB), registrou em cartório que doará INTEGRALMENTE o salário de vereador, caso seja eleito.
O candidato afirma que destinará os salários mensais a que tiver direito em todo o mandato para a construção e manutenção de uma Escola de Informática, totalmente gratuita para atender alunos de escolas públicas de Ouricuri.
O projeto será conduzido por ele e o funcionamento será divulgado em local público e na internet para que seja do conhecimento geral o cumprimento do compromisso.
O compromisso foi registrado em cartório no dia 08/09/2016 por meio de uma “Declaração Pública de Vontade” e publicado na internet.
Cópia da Declaração foi encaminhada ao Ministério Público Estadual no dia 09/09/2016, através da Promotoria Pública de Ouricuri para que seja garantido o cumprimento do compromisso.
No documento, Dhone Monteiro alega que sua declaração foi feita “de maneira espontânea e consciente”. “Não estou renunciando ao salário, estou abrindo mão dele porque não sou político profissional e nem pretendo ser, vou continuar vivendo do meu salário de professor”, disse, ressaltando ainda que sua decisão é irrevogável.
O termo de compromisso foi assinado pelo candidato e devidamente registrado no Cartório de 2º Ofício de Ouricuri. No documento o candidato declara que vai doar todo o salário de vereador ao projeto de implantação e manutenção de uma Escola de Informática, totalmente gratuita, para atender alunos de escolas públicas de Ouricuri.
Segundo Dhone Monteiro há inúmeros estudos que apontam que o computador é um poderoso recurso didático que facilita a aprendizagem com inúmeras possibilidades pedagógicas.
A Escola de Informática será totalmente gratuita e atenderá somente alunos de escolas públicas de Ouricuri. Serão firmadas parcerias entre a Escola de Informática que será criada e as escolas públicas de Ouricuri que demonstrarem interesse. Os alunos serão selecionados pelo histórico escolar, servindo como critério para ganhar a bolsa integral as notas em português e matemática, bem como o comportamento dentro e fora da sala de aula.
Dhone Monteiro disputa junto com outros candidatos, uma das 15 vagas no legislativo municipal. No documento ele se compromete ainda, caso eleito, votar sempre de acordo com o parecer do TCE/PE as contas dos prefeitos; votar contra reajuste de salário de prefeito, vice-prefeito e vereador; votar contra projetos de lei que retirem direitos dos servidores ou que de alguma forma prejudiquem a sociedade.
Para não deixar dúvidas de seu propósito, Dhone Monteiro vai afixar mensalmente em local público como gastou o salário de vereador, prestando conta do cumprimento do compromisso previamente assumido com a sociedade e publicará na internet as ações desenvolvidas, como textos, depoimentos, documentos, fotos e vídeos.
No documento registrado em cartório Dhone Monteiro garante que renunciará ao mandato de vereador, se eleito for e encerrará a sua carreira política partidária, caso não cumpra com os compromissos assumidos.
 

terça-feira, 23 de agosto de 2016

PROPOSTAS DE DHONE MONTEIRO PARA A EDUCAÇÃO

No dia 2 de outubro, vamos às urnas para escolher os vereadores e o prefeito de nossa cidade para os próximos quatro anos. Como candidato a vereador pelo PCdoB, com o número 65123, Dhone Monteiro é especialista na área educacional, inclusive com formação acadêmica em pedagogia e pós graduação em educação ambiental pela Universidade de Pernambuco. Possui 18 anos de tempo de serviço no magistério municipal e atualmente ocupa a presidência do Conselho Municipal de Educação. 
Para Dhone Monteiro a educação é a principal ferramenta da democracia, nesse sentido o voto torna-se muito valioso e por isso, antes de escolher em quem votar, é preciso saber quais são os planos de cada candidato para a Educação.
Antes de cobrar respostas dos governantes, é fundamental que a população saiba quais são as responsabilidades de cada esfera governamental - federal, estadual e municipal – com a Educação.
A Educação Infantil é atribuição dos municípios. Já o Ensino Fundamental é de responsabilidade prioritária dos governos municipais, mas há muitas redes estaduais que ainda mantem matrículas nessa etapa, sobretudo nos anos finais. O Ensino Médio, por sua vez, é de competência dos governos dos estados e o Ensino Superior, da União.
Levando em conta essas responsabilidades, nas eleições municipais deste ano, duas perguntas podem ser feitas aos possíveis prefeitos e vereadores. A primeira delas, dirigida principalmente aos candidatos a prefeitos, é sobre o plano para a universalização da Pré-escola para as crianças de 4 e 5 anos de idade, determinada pela Emenda Constitucional 59, de 2009, que deveria ter sido cumprida em 2016, mas devido a má gestão essa meta seguramente não será alcançada este ano.
Em 2014, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), cerca de 11% das crianças de 4 e 5 anos ainda estavam fora da escola. Portanto, os prefeitos e vereadores deverão continuar lutando para ampliar a oferta de Educação Infantil durante o mandato.
Não basta que todas que as crianças estejam matriculadas na escola. Elas precisam ter uma Educação de qualidade! A segunda pergunta, portanto, deve ser sobre um dos fatores que mais impacta na aprendizagem dos alunos: o professor. 
Antes de votar, busque analisar quais são as propostas dos candidatos para a valorização salarial, planos de carreira e formação continuada dos docentes.
Infelizmente, as gerações anteriores tiveram menos acesso à Educação e, por isso, não sabem muito como cobrar qualidade no ensino. A participação de todos na gestão pública pode ser um processo longo, mas se a sociedade questionar mais os candidatos, buscar conhecer suas propostas e se envolver no debate eleitoral, a classe política vai perceber que o comportamento dos eleitores mudou e ela também deve se aprimorar a fim de atender às demandas prioritárias do País.
Nos últimos anos, a produção de informação qualificada sobre Educação melhorou muito. Agora, ficou mais fácil para os cidadãos e para os gestores públicos ter acesso a dados sobre a área. Informar-se é fundamental para cobrar os governantes e para que eles possam fazer um bom trabalho!
A qualidade do voto está intimamente ligada a qualidade dos serviços públicos. Portanto, pense e repense o seu voto, analise a vida do candidato, o que ele já fez, como ele fez e quais as suas novas propostas. Assim, votando com consciência ajudará no desenvolvimento do seu município e esse progresso chegará seguramente até você!
ALGUMAS PROPOSTAS DE DHONE MONTEIRO PARA EDUCAÇÃO 
1-Lutar pela construção de novas escolas, visando acabar com os prédios alugados, reduzindo custos e melhorando a qualidade da infraestrutura oferecida aos alunos e servidores; 
2-Lutar pela criação de escolas-núcleo na zona rural, visando acabar com salas multisseriadas, mudando a forma de gestão das escolas, integrando os núcleos e mantendo os alunos estudando no local onde possuem a sua identidade histórico-cultural;
3-Lutar pela implantação de escolas em tempo integral, ofertando ao aluno múltiplas oportunidades de ensino e atendimento especializado;
4-Lutar pela melhoria permanente dos Planos de Cargos e Carreiras do servidores e dos professores com a ampliação dos percentuais de reajustes nas faixas e classes promocionais, bem como nas matrizes de vencimento; 
5-Lutar pela garantia de mais recursos do orçamento municipal para merenda escolar, criando no âmbito da Câmara Municipal uma Comissão Permanente da Alimentação Escolar; 
6-Lutar pela aquisição de novos ônibus escolares para atender os alunos da rede escolar municipal, oferecendo mais segurança e comodidade; 
7-Lutar por cursos de formação continuada para todos os servidores, inclusive os professores, com temas direcionados à carreira e preparatórios à ascensão funcional; 
8-Lutar pela aquisição de fardamento padronizado completo para alunos e funcionários, distribuídos anualmente; 
9-Lutar por ações que valorizem a cultura negra e o enfrentamento ao racismo; 
10-Lutar pelo esporte em todas as suas modalidades, no desenvolvimento de políticas de incentivo aos atletas;
11-Lutar pela criação do Sistema Municipal de Educação de Ouricuri para o estabelecimento de regras próprias da realidade municipal;
12-Lutar pela acessibilidade nos prédios públicos, principalmente nas escolas, transformando a infraestrutura da cidade de modo a facilitar o deslocamento dos cidadãos;
13-Lutar pela reforma efetiva das escolas existentes, buscando oferecer um padrão de qualidade;
14-Lutar pela nomeação e posse dos aprovados no Concurso público de 2016;
15-Lutar pela reabertura da Biblioteca Municipal com um novo acervo físico e digital, inclusive com acesso à internet;
16-Lutar pela ampliação de vagas em creches;
17-Lutar pela construção de quadras de esportes nas escolas dos bairros e povoados;
18-Apresentar projeto de lei estabelecendo o número de alunos por sala de aula de acordo com a faixa etária;
19-Lutar pela criação do Museu Municipal e o resgate histórico de Ouricuri;
20-Lutar pela pavimentação das vias de acessos ao IF-Sertão, à Escola Maria Gorete e outras;
21-Apresentar um projeto de lei com a obrigatoriedade de incluir no currículo das escolas municipais a educação ambiental, educação no trânsito e a educação física;

22-Lutar pelo cumprimento do Plano Municipal de Educação de Ouricuri;

23-Lutar pela democratização das escolas com eleição para a escolha dos diretores e incentivo a formação de grêmios estudantis;

(...)
São apenas alguns das lutas que o Vereador DHONE MONTEIRO vai enfrentar, se eleito for, para melhorar a Educação, o Esporte e a Cultura.
DHONE MONTEIRO
Um novo jeito de fazer política!
Acredite! Vote 65123 e ajude a transformar Ouricuri um município próspero e feliz! 

terça-feira, 9 de agosto de 2016

O SINDICATO É APARTIDÁRIO, PORÉM NÃO PODE E NÃO DEVE SER APOLÍTICO

Estamos vivenciando mais um ano eleitoral. É tempo de ficar esperto, observar as propostas dos candidatos e conhecer a vida pregressa deles.
O voto consciente é de suma importância para o progresso do país e cada um de nós carrega na consciência a responsabilidade de escolher bem os nossos representantes.
A soma das escolhas da maioria elege os governantes, assim prima a democracia.
Com a aproximação do período eleitoral muito vamos ouvir falar em voto consciente e eleitor consciente.
Mas o que realmente é esta consciência eleitoral?
Como sabemos a maioria das pessoas nada ou pouco se interessa por política e nem se preocupa em acompanhar os jogos que se formam em busca do poder. Quase sempre esses jogos ou “acordos” são feitos nos subterrâneos da política, por detrás das cortinas dos interesses escusos ou na penumbra da impunidade.
Pesquisas revelam a vergonha nacional: “Brasil paraíso da corrupção”. A pior revelação: 75% dos brasileiros toleram a corrupção e admitem que seriam capazes de cometer irregularidades em cargos públicos.
“Eleitor - vítima ou cúmplice?”
O interesse por política aparece somente na época de eleição, até porque na nossa democracia o cidadão é obrigado a votar, um contrassenso, já que democracia significa liberdade. O voto obrigatório é uma violência ao princípio democrático. O voto deve ser facultativo, cabendo aos principais interessados (os políticos) darem um jeito de conquistar o eleitorado para atraí-lo até a urna eleitoral.
O fato é que poucos participam ativamente do processo eleitoral. Basta verificarmos que apenas cerca de 10% dos eleitores são filiados a algum partido político.
Eleitor consciente é aquele que compreende que apesar das escandalosas denúncias de corrupção que vivemos, a política é um relevante instrumento do desenvolvimento de toda sociedade. Eleitor consciente analisa as propostas, procura conhecer a história dos candidatos e do partido a que ele pertence, acompanha os debates, participa de organizações sociais ou comunitárias em sua cidade, e procura participar de reuniões e debates políticos como as constantes audiências públicas que veem ocorrendo na sociedade.
Os eleitores conscientes entendem a importância do voto para a construção da cidadania, e que a política - e os políticos, por vezes, mesmo não fazendo por merecer o seu voto, tem a consciência cidadão  que implica em participar ativamente sempre repensando atitudes, e se necessário alternando pessoas e partidos no poder.
A confiança é condição primeira em qualquer relacionamento, em especial ao que se refere à de representatividade política. Embora os partidos políticos deixem a desejar quanto a sua responsabilidade na hora da na seleção de membros - que está longe de ser rigorosa, chegando mesmo em alguns momentos, divergir da ética da sociedade e beirar ao deboche - o eleitor deve selecionar pessoas confiáveis e com credibilidade para ocuparem os cargos públicos.
A posição das agremiações partidárias em se omitir ao excluir de suas listas candidatos que possuam uma vida pregressa incompatível com as funções públicas e que deixam de punir os praticantes de atos duvidosos deve ser combatida pelo eleitor consciente de forma a deixar estes agentes no ostracismo, como já pode ser observado em eleições passadas, esquecidos no limbo político.
A lei da ficha-limpa veio como um “suspiro”, um alento de esperança para separar o joio do trigo na política nacional. Extirpando os maus políticos e condenando-os ao esquecimento. A maior de todas as punições para uma pessoa pública. Mas a lei por si só não resolve essa crise crônica de valores em que vive a sociedade brasileira, o povo deve compreender que a sua vida está nas mãos dos políticos, que decidem os rumos que serão seguidos. As leis, as regras, as taxas, os preços, a infraestrutura, os sistemas de saúde, educação e segurança, as relações políticas e administrativas, enfim, quase tudo é fruto de decisões políticas.
O candidato a cargos eletivos que for conhecido pela sua falta de decência, por atos duvidosos em relação à ética e ao bem comum, deve ficar de fora do cenário político, a fim de realizarmos uma purificação gradual no meio.
O eleitor através do exercício maior da sua cidadania que é o seu direito ao VOTO deveria afastar de qualquer atividade política aqueles que acabam chamando mais atenção pela falta de compostura com que agem, do que pelo exemplo com que tratam do bem público.Honestidade não é proposta de governo e sim deve ser  o mínimo que se deve esperar e que devemos cobrar de qualquer um, seja político ou não.
Devemos ter a consciência de que o voto além de ser um dever cívico, é o melhor meio de projetar um futuro melhor. Um cidadão consciente e bem informado, um eleitor atuante que sabe o valor do seu voto, PODE e DEVE influenciar positivamente as pessoas à sua volta.
O sindicato tem obrigação de servir de palco para esta reflexão, “jogo aberto”, sincero, “cara a cara” com os sindicalizados. Afinal, o sindicato é apartidário, ou seja, não tem ligação a nenhum partido político, porém o sindicato não pode e não deve ser apolítico. Muito pelo contrário, deve agir com autonomia frente aos partidos políticos.
Assim, defendemos a independência dos sindicatos em relação ao governo, aos patrões e ao Estado. Isto é, não pode haver qualquer relação política, financeira ou organizativa com as entidades patronais e seus governos. Os sindicatos não devem receber quaisquer recursos financeiros vindos do Estado ou de empresários e deve proibir seus dirigentes de ocupar cargos de confiança em qualquer instância governamental.
Os sindicatos devem ser autônomos em relação aos partidos. Isto é, as decisões dos sindicatos devem ser soberanas, mas devem permitir que seus membros participem de partidos políticos e vice-versa. Mas os sindicatos não podem ser apolíticos, é sua obrigação se posicionar sobre os acontecimentos políticos na sociedade e receber, em suas instâncias, todos os trabalhadores filiados, ou não, a partidos políticos.
Os sindicatos são instrumentos da classe operária, criados para defender seus interesses. São organizações de massa dos trabalhadores. Deles participam todos que querem lutar pelos seus direitos, sem diferenciações ideológicas, de raça, religiosas, de orientação sexual, etc.
A concepção de luta sindical puramente econômica leva as amplas massas trabalhadoras a um beco sem saída, pois nunca ultrapassarão o sistema capitalista e viverão sob a exploração perpétua. Por isso, a luta política também deve ser travada nos sindicatos e neste caso os partidos, que são uma parte dos trabalhadores, têm um papel importante de politização dessa luta. Neste sentido, a participação de militantes partidários nas assembleias e nas diretorias dos sindicatos é fundamental para que possam apresentar suas posições políticas e sejam apreciadas de forma autônoma pela categoria.
Está entrando em campo e literalmente em jogo o voto responsável!